INDICADORES DE VIABILIDADE ECONÔMICA PARA SISTEMAS AGROFLORESTAIS PECUÁRIOS NO SUDESTE DO PARÁ

Jaqueline Fontel de Queiroz, Rosana Maneschy, Gisalda Carvalho Filgueiras, Alfredo K. Oyama Homma

Resumo


A degradação de áreas de pastagem, no Brasil e especialmente na Amazônia, constitui um grave problema ambiental e econômico. Existem possibilidades econômicas e ambientais para recuperar tais áreas. A primeira diz respeito aos sistemas agroflorestais (SAFs), sendo estes capazes de gerar benefícios ao produtor, como o aumento do nível de renda, devido à diversificação destes sistemas. Do ponto de vista ambiental, podem melhorar a qualidade do solo, diminuir a erosão e promovem o sequestro de carbono. Neste estudo, selecionou-se as espécies adotadas em experiências exitosas do projeto “Proteção e uso sustentável de paisagens dos biomas brasileiros (PROJETO BIOMAS)”, que têm parceria com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e Universidade Federal do Pará (UFPA). Assim, o objetivo deste trabalho foi o de simular e analisar 12 modelos distintos de SAFs, analisando a viabilidade econômica de cada um deles, por meio de indicadores: taxa interna de retorno (TIR), valor presente líquido (VPL), relação benefício-custo (Rb/c), payback e valor anual equivalente (VAE). Em todas as simulações foram adotadas as taxas de juros de 2,5% a.a., 6% a.a. 7% a.a, de acordo com as linhas de juros do PRONAF-Floresta, Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural – PRONAMP e MODERAGRO. O resultado confirmou a viabilidade de cada um dos modelos testados.

 

PALAVRAS-CHAVE: Agroflorestal, Pecuária, Amazônia.


Texto completo:

PDF

Referências


AMARO, G.C. Modelagem e Simulação Econômica de Sistemas Agroflorestais na Amazônia Brasileira. Dissertação (Pós-Graduação em Economia) Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. 2010. 117 f

ARCO-VERDE, M.F. Sustentabilidade Biofísica e Socioeconômica de Sistemas Agroflorestais na Amazônia Brasileira. Tese. (Pós-graduação em Engenharia Florestal) Universidade Federal do Paraná. Curitiba. 2008. 188 f

ARCO-VERDE, M. F, AMARO George. Análise financeira de sistemas produtivos integrados. Embrapa Colombo- PR, 2014. Disponível em: Acesso em 02/12/2015.

BANCO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO (BNDES). 2018. PRONAMP. Disponível em: < www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/financiamento/produto/pronamp/-investimento>. Acesso em 07 setembro 2018.

BENTES-GAMA, Michelliny de Matos et al. Análise econômica de sistemas agroflorestais na Amazônia ocidental, Machadinho d'Oeste- RO. Rev. Árvore, Viçosa, v. 29, n. 3, p. 401-411, Junho 2005. Disponível em . Acesso em 01 Julho 2018.

CARVAJAL, R. et al. Corrección de la contabilidad nacional, por efectos ambientales, según la metodología de Salah El Serafy: el caso del petróleo Ecuatoriano. 1996. Dissertação de Mestrado. [sl] FLACSO sede Ecuador.

EL SERAFY, J. The proper calculation of income from depletable natural resources. In: AHMAD, Y.; EL SERAFY, S.; LUTZ, E. (eds). Environmental and natural resource accounting and their relevance to the measurement of sustainable development. Washington, D.C., World Bank/UNEP, 1989. p.10-18.

FEITOSA, Terezinha Cavalcante. Análise da Sustentabilidade na Produção Familiar no Sudeste Paraense: O caso dos produtores de leite do município de Rio Maria. Dissertação do Mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável. Universidade Federal do Pará (UFPA). 2003.

FRANCO, A.A.; RESENDE A.S. de; CAMPELLO, E.F.C. Importância das Leguminosas Arbóreas na Recuperação de Áreas Degradadas e na Sustentabilidade de Sistemas Agroflorestais. In: SEMINÁRIO SISTEMAS AGROFLORESTAIS E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, 2003, Campo Grande, MS. Palestras... Campo Grande: Embrapa Gado de Corte; Dourados: Embrapa Agropecuária Oeste; Corumbá: Embrapa Pantanal, 2003. 24 f. 1 CD ROM.

GUIDUCCI, R.C.N.; LIMA FILHO, J.R.; MOTA, M.M. Viabilidade econômica de sistemas de produção agropecuários: metodologia e estudos de caso. Brasília: SGE. 2011.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografía e Estatística. Dados Econômicos de São Domingos do Araguaia. Diversos anos. Disponível: < https://cidades.ibge.gov.br/>. Data de acesso: maio/2018

IBRAHIM, M.; VILLANUEVA, C.; CASASOLA, F.; SEPULVEDA, C.; TOBAR, D. Potencial de producción sostenible de madera del sistema silvopastoril árboles dispersos en potreros en América Central. In: CONGRESSO LATINOAMERCIANO DE SISTEMAS AGROFLORESTAIS PARA A PRODUÇÃO PECUÁRIA SUSTENTÁVEL, 7, 2012, Belém. Anais... Sistemas silvipastoris, o caminho para a economia verde na pecuária mundial. Belém: EMBRAPA Amazônia Oriental, CIRAD, CATIE, CBPS, CIPAV, UFPA, UFSJ, FAO, MAPA, 2012. 1 CD-ROM.

MAIA, Stoécio Malta Ferreira et al. Impactos de sistemas agroflorestais e convencional sobre a qualidade do solo no semi-árido cearense. Rev. Árvore, Viçosa , v. 30, n. 5, p. 837-848, Oct. 2006. Available from http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010067622006000500018&lng=en&nrm=iso. Acesso em 17 Nov. 2018.

MANESCHY, Rosana Quaresma. Potencial e viabilidade econômica dos sistemas silvipastoris no Estado do Pará. / Rosana Quaresma Maneschy – Belém, 2008. 152 f.: il. Tese (Doutorado em Ciências Agrárias) – Universidade Federal Rural da Amazônia e Embrapa Amazônia Oriental, Belém, 2008.

MANESCHY, R. Q.; SANTANA, A. C.; VEIGA, J. B. Viabilidade Econômica de Sistemas Silvipastoris com Schizolobium parahyba var. amazonicum e Tectona grandis no Pará. Pesquisa Florestal Brasileira, n. 60, p. 49-56, 2009.

MANESCHY, R. Q.; OLIVEIRA, I. K. de S.; GUIMARÃES, T. P.; OLIVEIRA, P. D.; CASTRO, A. A. Manejo da regeneração natural de espécies arbóreas na pastagem como alternativa silvipastoril para a sustentabilidade da agricultura familiar no sudeste do Pará. In: HENTZ, A. de M.; MANESCHY, R. Q. (Org.). Práticas Agroecológicas: Soluções sustentáveis para a agricultura familiar na região sudeste do Pará. Jundiaí: Paco Editorial, 2011, p. 289-306.

MARQUES, M. C.; MANESCHY, R. Q.; QUEIROZ, J. F. Modelagem econômica de sistema agroflorestal para agricultores familiares no sudeste do Pará. Cadernos de Agroecologia, v. 10, n. 3, 2015.

MOTA, K. J. A. da J. Viabilidade Econômico Financeira e Renda Sustentável da Produção Familiar Paraense de Dendê. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia). Universidade Federal do Pará (UFPA). Belém. 2013.

MICHELOTTI, F.; RODRIGUES, F. N. C. de V. Desafios para a sustentabilidade ecológica integrada a trajetórias de estabilização da agricultura familiar na região de Marabá. In: ENCONTRO DA ANPPAS, 2., 2004, Indaiatuba, SP. Anais... Indaiatuba. SP: ANPPAS, 2004. p. 1 - 20.

PEREIRA, Lucas Toledo. Sistemas agroflorestais: os benefícios para a agricultura familiar. Belém: World Agroforestry Centre, 2010.

PEREIRA, Lucas Toledo. Sistemas agroflorestais e agricultura familiar: uma parceria interessante. Revista Tecnologia & Inovação Agropecuária, v. 1, n. 2, p. 50-59, 2018.

PEZO, D.; IBRAHIM, M. Sistemas Silvopastoriles. 2 ed. Turrialba, Costa Rica: CATIE, 1999. 276 p.

RIBASKI, Jorge; MONTOYA VILCAHUAMAN, Luciano Javier; RODIGHERI, Honorino Roque. Sistemas agroflorestais: aspectos ambientais e sócio-econômicos. Embrapa Florestas-Artigo em periódico indexado (ALICE), 2001

RIBASKI, J. As vantagens dos sistemas agroflorestais. Embrapa Florestas-Artigo de divulgação na mídia (INFOTECA-E), 2009.

RODRIGUES, Elizangela Ronconi et al. Avaliação Econômica de Sistemas Agroflorestais Implantados para a Recuperação de Reserva legal no Pontal do Paranapanema, São Paulo. R. Árvore, p. 941-948, 2007.

SCHNEIDER, Sergio; CASSOL, Abel. A agricultura familiar no Brasil. Porto Alegre, Relatório de pesquisa. FIDA/RIMISP, 2013.

SILVA, Márcio Lopes da.; FONTES, Alessandro Albino. Discussão sobre os Critérios de Avaliação Econômica: valor presente líquido (VPL), valor anual equivalente (VAE) e valor esperado da terra (VET). R. Árvore, Viçosa-MG, v.29, n.6, p.931-936, 2005.

YOUNG, Carlos Eduardo Frickmann; FAUSTO, José Ricardo Brun. Valoração de recursos naturais como instrumento de análise da expansão da fronteira agrícola na Amazônia. Texto para Discussão, n. 490. IPEA – Instituto de Pesquisa Economia Aplicada. Rio de Janeiro, junho de 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN online 2595-9239