AVALIAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EM RECURSOS HÍDRICOS: INSTRUMENTOS PARA TOMADA DE DECISÃO

Erika Simone Caxias Gama, Marise Teles Condurú

Resumo


Reflete sobre o uso de sistemas de informação, tendo como objetivo analisar a qualidade da informação nos sistemas de informação em recursos hídricos, propiciando informação para a tomada de decisão no setor. A pesquisa é caracterizada como bibliográfica e documental, com abordagem qualitativa, caracterizada como estudo de caso múltiplo. Com isso, foi realizada avaliação da qualidade da informação disponível no Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos (SNIRH), da Agência Nacional de Águas (ANA) e no Sistema Estadual de Informações sobre Recursos Hídricos (SEIRH), da Secretaria de Estado e Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS). Constatou-se que os sistemas analisados apresentam falhas em alguns critérios de consistência da informação, percebendo-se que a oferta de informações não é embasada em coletas reais, pois não são indicados a fonte de onde foi retirada; assim como a falta de coerência da linguagem utilizada pela fonte com seus objetivos e o público a que se destina. Quanto ao critério facilidade de uso, houve a negativa em relação a disponibilidade de recursos de pesquisa na fonte: função de busca, lógica booleana, índice, arranjo, espaço da informação, outros e instruções de uso.  O que diferenciou foi no critério facilidade de uso dos sites, que no SNIRH encontra-se mapa do site/fonte, enquanto no SEIRH não há disponível. Conclui-se que os dois sistemas analisados precisam de atenção à qualidade da informação, para que haja maior credibilidade e eficácia às coletas de dados para a tomada de decisão.

 

PALAVRAS-CHAVE: Informação Ambiental, Qualidade da informação, Sistemas de informação.


Texto completo:

PDF

Referências


AROUCK, Osmar. Atributos de qualidade da informação. 2011. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília, Brasília, 2011.

BARROS, Lucivaldo Vasconcelos. O Estado (IN)transparente: Limites do Direito à Informação Socioambiental no Brasil. Tese de Doutorado – Universidade de Brasília. Centro de Desenvolvimento Sustentável, 2008.

BARTH, F. T.; POMPEU, C. T. Fundamentos para gestão de recursos hídricos. In: BARTH, F. T. et. al. Modelos para gerenciamento de recursos hídricos. São Paulo: Nobel: ABRH, 1987. p. 01-91.

BRASIL. Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989. Diário Oficial [da] União, Brasília, DF, 9 jan. 1997. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil _ 03 /LE IS/L9433.htm. Acesso em: 10 abr. 2018.

BERGAMIN JÚNIOR, Sebastião. Contabilidade e riscos ambientais. Revista do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Rio de Janeiro, n.11, p. 1-17, 1999.

CANOTILHO, José Joaquim Gomes; MOREIRA, Vital. Constituição da República Portuguesa Anotada. 3. ed. rev. Coimbra: Coimbra, 1993.

CAPRA, Fritjof. As Conexões Ocultas: Ciência para uma Vida Sustentável. São Paulo: Cultrix, 2005.

CARIBÉ, Rita de Cássia do Vale. Subsídios para um sistema de informação ambiental Brasil. Ciência da Informação, Brasília, v. 21, n. 1, p. 40-45, jan./abr. 1992.

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. São Paulo: Paz e Terra, 2007. (A era da informação: economia, sociedade e cultura, v.1).

DE SORDI, José Osvaldo. Administração da informação: fundamentos e práticas para uma nova gestão do conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2008.

DEL´OLMO, Elisa Cerioli. Informação Ambiental como direito e dever Fundamental. 2007, 54 f. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) - Faculdade de Direito, Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2007.

FREIRE, Isa Maria; ARAÚJO, Vania Maria Rodrigues Hermes de. A responsabilidade social da Ciência da Informação. Transinformação, Campinas, v. 11, n. 13, jan./abr. 1999.

FURRIELA, Rachel Biderman. A Lei Brasileira sobre o Acesso à Informação Ambiental como Ferramenta para a Gestão Democrática do Meio Ambiente. Revista Brasileira de Direito Constitucional, n. 3, p. 283-284, jan/jun., 2004.

GIL, Antônio de Loureiro. Sistema de Informações Contábil/Financeiros. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

HENDERSON, J.R. The ICYouSee guide to critical thinking about what you see on the web. New York: Ithaca College, 2002.

KOEHLER, W. An analysis of web page and web site constancy and permanence. Journal of the American Society for Information Science, v. 50, n. 2, p. 162-180, feb., 1999.

LIZARRAGA, J.A.R.; ESPINOSA, A.R.A. Información, participación y justicia em matéria de médio ambiente: comentário sistemático a La Ley 27/2006, de 18 de julio. [S.l.]: Thomson, 2007.

MACHADO, Paulo Affonso Leme. Direito à Informação e Meio Ambiente. São Paulo: Editora Malheiros, 2006.

MARCATTO, Flávia Silvia. A participação pública na gestão de área contaminada: uma análise de caso baseada na Convenção de Aarhus. 2005. 256f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2005.

NIELSEN, Jakob; LORANGER, Hoa. Usabilidade na web: projetando websites com qualidade. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

NOGUEIRA, Poliana Gonçalves; FERREIRA, Maria Mary. Informação ambiental: uma alternativa para os indivíduos se tornarem sujeitos ecológicos e construir o desenvolvimento sustentável. In: ENCONTRO REGIONAL DE ESTUDANTES DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO, CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DA INFORMAÇÃO. 14., 2011, Maranhão. Anais [...]. Maranhão: Universidade Federal do Maranhão, 2011.

PADILHA, Norma Sueli. Fundamentos constitucionais do direito ambiental brasileiro. Campos, 2010.

PAIM, Isis; NEHMY, Rosa Maria Quadros; GUIMARÃES, César Geraldo. Problematização do conceito “qualidade" da informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 111-119, jan./jun. 1996.

PARÁ. Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade. SEIRH. Disponível em: http://seirh.sema.pa.gov.br/. Acesso em: 10 abr. 2018.

PEREIRA, Maria José Lara de Bretãs; FONSECA, João Gabriel Marques. Faces da Decisão: as mudanças de paradigmas e o poder da decisão. São Paulo: Makron Books, 1997.

PRIEUR, Michel. Droit de I’environnement. 6. ed. Paris: Dalloz, 2011.

ROCHA, J.C.S. da; ASFORA, M.C.; CORREIA, C. de O. Sistema de Informações sobre Recursos Hídricos de Sergipe: Estágio Atual. In: SIMPÓSIO REGIONAL DE GEOPROCESSAMENTO E SENSORIAMENTO REMOTO, 1., 2002, Aracaju/SE. Anais [...]. Aracaju, 2002.

SALES, Rodrigo de; ALMEIDA, Patrícia Pinheiro de. Avaliação de fontes de informação na internet: avaliando o site do NUPILL/UFSC. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 4, n. 2, p. 67-87, jan./jun. 2007.

SILVA, Thiago Antunes da. Avaliação do acesso ao SINIMA: Sistema Nacional de Informação sobre o Meio-ambiente. Perspectivas em Ciência da Informação, v.12, n.3, p.41-53, set./dez. 2007.

STAIR, Ralph M. Princípios de sistemas de informação. Rio de Janeiro: LTC, 1998.

TARGINO, Maria das Graças. Informação ambiental: uma prioridade nacional?. Informação & Sociedade: Estudos, v. 4, n. 1, p. 38-61, 1994.

TOMAÉL, Maria Inês et. al. Avaliação de fontes de informação na internet: critérios de qualidade. Informação e Sociedade: Estudos, v. 11, n. 2, p. 13-35, 2001.

TOMAÉL, M. I. et al. Critérios de qualidade para avaliar fontes de informação na Internet. In: TOMAÉL, M. I.; VALENTIM, M. L. P. (Org.). Avaliação de fontes de informação na Internet. Londrina: Eduel, 2004. p. 19-40.

VITORINO, E. V. et al. Fontes de informação em educação a distância em meio eletrônico nas universidades federais brasileiras. Revista ABC, v.12, n. 1, 2007. Disponível em: http://revista.acbsc.org.br/index.php/racb/article/viewArticle/496/639. Acesso em: 10 abr. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN online 2595-9239